Halloween Contest- resultados

11/10/2011

Finalmente os resultados!

O júri, composto pelo Ricardo Silva do 6º C, pela Catarina Chasqueira do 9º E e pelos professores Cidália Ferreira de Inglês e Joaquim Cachaço do órgão de gestão, reuniu na passada quinta feira e não teve a tarefa facilitada. Alguns dos trabalhos foram eliminados, apesar de muito bonitos e criativos, mas acontece que não cumpriam com o requisito de terem sido realizados com materiais reciclados. Para o ano devem estar mais atentos ao regulamento.

O júri decidiu o seguinte:

1º Prémio exaequo – Chapéu da aluna Maria Madalena do 5º E e  Daniela Carvalho do 6º L.

2º Prémio – Abóbora do Pedro Serrano- 5º A, n.º 26;

3º Prémio – Vassoura do Eugeniu Litvinenco do 5º E

O júri decidiu ainda atribuir uma Menção Honrosa ao trabalho, do Maxim Litvinenco, do 6º E, que apesar de não se enquadrar no regulamento do concurso é revelador de muita criatividade.

O júri decidiu também não atribuir prémios aos alunos do 3º ciclo, uma vez que os trabalhos a concurso ou não cumpriam com o regulamento ou  não apresentavam a qualidade que seria de esperar para este ciclo de ensino.

Deixamos-vos algumas fotos dos trabalhos a concurso.

Anúncios

Livros reciclados / Vasos de cultura

07/31/2010

Os livros são algo de muito precioso, tanto assim que é muito difícil separarmo-nos deles mesmo quando já são muito velhos e já não lhes vemos grande utilidade. Pensando nisso, uma empresa italiana, a Gartencultur, resolveu de forma muito original reciclar livros transformando-os em lindos vasos de flores: vasos de cultura!

Como fazer? Pega-se num livro de capa dura, faz-se um buraco e protege-se da humidade com uma cola especial. Seguidamente enche-se o buraco com terra e coloca-se a planta. O resultado é maravilhoso e bonito de se ver, especialmente para os amantes de livros e plantas.

Apreciem o projecto da Gartencultur através deste slidecast que realizámos com imagens retiradas do site da empresa!


A garrafa de rapé

07/29/2010

No final da Dinastia Ming, o rapé chegou à China trazido pelos Portugueses, assim surgindo, de forma gradual, os frascos de rapé.

A perícia da pintura feita na garrafa de rapé foi muito próspera na Dinastia Quing, entre 1644 e 1912. Naquela época, o fumo do tabaco foi proibido, mas, paradoxalmente, o uso de rapé era aceitável porque era valorizado por suas qualidades medicinais. Considerado como um remédio eficaz para resfriados, dores de cabeça, distúrbios do estômago e muitas outras doenças, o tabaco em pó foi dispensado num frasco ao invés das caixas como era o costume europeu.

A pintura dentro das garrafas de rapé surgiu no ano do Imperador Jia Qing. Esse tipo de habilidade desenvolvida de pintura no interior da garrafa deu origem a verdadeiras obras de arte.
Inserir uma caneta delgada especialmente concebida com uma curva na ponta através do gargalo, contar com um talentoso artista que trabalha no espaço apertado da cavidade da garrafa, capaz de gravar desenhos vivos e caligrafias na superfície interna da garrafa, torna a pintura interna das garrafas de rapé numa forma de arte única.

O resultado é um conjunto de miniaturas requintadas de paisagens, naturezas mortas, retratos e caligrafias deliciando muitos coleccionadores.

Para admirar!


S.Tomé e Príncipe-Ano Internacional de Aproximação entre Culturas

06/18/2010

Mais um trabalho dos alunos da turma 5º E, desta feita, o país é S. Tomé e Príncipe.


Ucrânia – Trabalho 2

06/18/2010

Mais outro trabalho da Ucrânia! Desta vez as autoras são a Beatriz, a Madalena e a Joana.


Ucrânia

06/17/2010

Mais um trabalho da turma 5º E realizado no âmbito do Ano Internacional de Aproximação entre Culturas, desta vez temos a Ucrânia.


Cabo Verde – Ano Internacional de Aproximação entre Culturas

06/14/2010

%d bloggers like this: